Busca

Forma : Plural

Releitura do viver bem

Autor

formaplural

Entre e sinta-se à vontade

Uma casa de espírito livre e totalmente acolhedora. Sempre julgo esses adjetivos bastante apropriados para as casas madrilenas. E não nego: costumam ser minhas favoritas. Não sei se é por conta da identidade, mas tudo que olho me soa muito familiar, todos os arranjos me levam à casa de minha avó materna; ou se é em função da quantidade de possibilidades que elas carregam. Na verdade, acho que o que me seduz é essa combinação do conhecido com o possível. A que ilustra esse post não é diferente – um lar de 60 m2, que nem vou citar sobre o fantástico uso do espaço, mas sobre a maestria que teve em fazer o mobiliário totalmente básico se transformar em extraordinário. Muita linha reta, muita madeira clara, o mais básico e clean do mundo. Até as prateleiras não possuem nenhum trelelê. Mas todos os recintos esbanjam movimento, transpiram vida, são acolhedores de um jeito que só o abraço sabe ser. E sabe por quê? Porque ele é cheio de detalhes, porque ele tem cores quentes, porque ele tem tramas e texturas, porque ele tem coragem. Você percebe a alegria pairando e a cada mudança de ambiente sente o envolvimento impregnado ali, em muita coisa que demandou um “faça você mesmo” ou um cuidado grande no momento de compor e organizar.

Fonte: Design Elements

Otimização de espaço

Otimização de espaço. Baita assunto cada vez mais discutido e almejado. Também pudera: dá só uma olhada nos novos empreendimentos pra sacar o drama. A realidade tá aí e, mais cedo ou tarde, terá que lidar com ela. Uma das coisas que muito me incomoda nesse lance de otimização de espaço é a impessoalidade que costuma vir junto. Móvel planejado e de linhas retas por todas as bandas, nada de cor, nada de texturas. Cadê o borogodô? Cadê aquele detalhe que faz diferenciar a minha da sua casa?  Por isso trouxe esse apê, um exemplo super bacana de otimização de espaço com personalidade. Ele tem móvel planejado onde só um móvel planejado operaria milagres. Onde não há necessidade extrema, ele tem peças soltas, muita textura, muitos elementos capazes de doar identidade, como livros e quadros bem distribuídos. As verdinhas também honraram suas posições, fazendo tudo parecer mais vivo e ajudando a dar um movimento bom ao todo. E uma das coisas mais incríveis: ele é sem fronteiras, foi totalmente descompartimentado, e não é que tudo funcionou junto, cada recinto no seu devido lugar? Tem espaço delimitado pelo piso, por rack baixo e até por uma estante feita de prateleiras. Visualmente amplo e bem distribuído, onde funcionalidade e aconchego caminham lado a lado e a impessoalidade nem chega perto.

Sua casa tá precisando de um pouco de personalidade ou mesmo de uma repaginada geral? Então conheça nossa consultoria de decoração. Sem quebra-quebra, te ajudamos a transformar sua casa no seu lugar favorito.

Fonte: Micasa

É assim e tá tudo muito bem!

Ah, tamanho despojamento é, no mínimo, de se admirar. E não é de admirar o despojamento sob o olhar de ser descolado, mas é de admirar no sentido da aceitação. É aceitar que o sofá já viu dias melhores e hoje ele fica muito mais simpático com uma capa e almofadas multicoloridas. É aceitar o gosto por muitas cores e decidir colocar todas juntas. É aceitar e permitir o convívio com móveis de diferentes épocas, procedências e estilos. Afinal de contas, o aceitar é tão libertador que faz a gente ser capaz de olhar ao redor e encontrar alternativas. É aquela boa e velha história de parar de focar no problema e focar na solução. Exige aceitar o imperfeito, demanda flexibilidade e boa dose de criatividade, como muitos pontos que podem ser notados nessa casa. Mas o exercício de aceitar e tirar o máximo proveito daquilo que se tem sem dúvida ainda é um dos melhores caminhos para se alcançar uma casa imperfeitamente perfeita e deliciosamente real.

Quer uma mãozinha pra dar um talento no seu cafofo, uma boa repaginada tirando o máximo proveito do que já possui? Nossa consultoria de decoração pode te ajudar 🙂 . Aqui você encontra maiores informações.

Fonte: Planete Deco

Uma casa para 2020

Quando a gente se depara com casas assim, visualmente despretensiosas e muito acolhedoras, um tanto de coisas fervilham na cabeça. Faz a gente refletir sobre o consumo, rever conceitos de padrões, considerar melhor o medo de errar. Um caos harmonioso, soa feito abraço. Daqueles que nos confirmam que, mesmo misturando estilos, cores, formas, tudo vai dar certo. E dá certo porque em cada uma dessas misturas está presente o seu gosto e, se tudo tem seu gosto, aquilo tudo vai te parecer bonito. Mais do que isso: vc estará criando um estilo único, original, exclusivíssimo. Vai se enxergar em todos os cantinhos de seu cafofo. Que 2020 nos traga mais casas assim, tão originais quanto nossos próprios erros.

Entra aqui pra conhecer a história dessa casa, super bacana! E para quem curte esse mood despojado, em nosso Instagram temos o Garimpo Manual, que é nossa curadoria de peças feitas à mão. Vai lá conhecer!

De bem com a vida

A casa é pré-fabricada. Os móveis, reciclados. Tem vaga para o jardim na área interna e externa. E tem sofá na varanda! É a típica casa de pessoas despojadas, que se preocupam muito mais em viver bem, levando a sério a releitura e uso dos espaços. Cores pontuais salpicam acessórios, móveis, portas e esquadrias. E as soluções? Tem pra todos os gostos e para diferentes finalidades. É mais uma daquelas casas que valem um olhar bem demorado, que são uma lição quando o assunto é “faça do seu jeito e parta para o abraço”. Mas sabe o que ela tem de mais interessante? É uma casa onde tudo se arranja de uma hora para outra, onde o sofá de varanda pode assumir o lugar do sofá oficial; os vasos podem ser arranjados de outras formas e com isso os espaços podem ganhar novos contornos; os cantinhos podem ser diagramados mais pra lá ou pra cá e com isso a casa ganha um novo frescor. É uma casa livre, com ritmo e sem prazo de validade.

 

Fonte: Revista Micasa

Referência

Sempre que a gente pretende dar um tapa no cafofo saímos à caça de referências. Bom, pelo menos costumo fazer isso. As referências clareiam as ideias, mas o fundamental é ser capaz de interpretá-las. Essa aqui, que encontrei no blog A part ça, tem uma série de coisas interessantes. Primeiro, contém uma releitura de cozinha, passando seu status a cozinha de estar. Tem quadros e cortina. Tem pendentes. Tem também uma estratégica mesa com bons assentos, mesmo que pequena. Mas tem! Muitas vezes deixamos de realizar algumas coisas que desejamos porque achamos que o espaço não comporta, mas aí que entra a importância da proporção, né? Além disso, ela contém elementos ultra acolhedores, presentes no ladrilho hidráulico, no aparador de madeira, no material do banco. Mas, sem sombra de dúvidas, o que ela tem de mais precioso é a entrada de luz natural. Cada vez mais, tenho a certeza de que janelas e portas são os melhores investimentos que se pode fazer em qualquer recinto.

Quer mais ideias legais para cozinhas? Aqui tem um montão.

Quando a vontade supera metragens

Bacanérrimo é pouco pra descrever esse apê de 30 m2. Ele tem coragem, tem vontade, atitude. Tem bom gosto, tem cuidado e tem mão na massa pra caramba. Cada ínfimo cantinho é povoado com alguma coisa que dá pra sacar que não é por acaso, é com porquê. Nem que esse porquê seja um agradar aos olhos que, diga-se de passagem, é um motivo e tanto. Nele couberam inspirações das mais diversas: bom uso de espaços verticais, novo conceito de revestimento, paleta de cores bem sucedida e por aí segue. Vale uma boa espiada no Life by Lufe, onde tem cada detalhe descrito e também o vídeo. Inspire-se aí pra aproveitar o feriado e dar um talento no cafofo.

 

Além do móvel planejado

Pensar em metragens enxutas e móveis antigos parece ser uma mistura pouco provável. Quando percebemos que o espaço é modesto, logo nos vem à cabeça móveis planejados, não é? Pois bem, a realidade por ser bem diferente, desde que exista o cuidado com a curadoria do mobiliário tanto no quesito proporção quanto leveza. No caso desse duplex de 65m2, foi justamente essa curadoria que trouxe sucesso ao projeto, onde peças bem assertivas foram inseridas, sem deixar o visual nem um pouco pesado, apertado ou datado. Aliás, a paleta de cores dos objetos e acessórios teve uma enorme contribuição para situar a decoração nos dias atuais, dando um visual mais jovem. Sem dúvida, um caso de bastante sucesso, daquelas releituras surpreendentes, que provam mais vez toda a versatilidade e originalidade dos móveis e objetos cheios de história.

Você sabia que em nosso Instagram temos o “Garimpo Afetivo”? São itens antigos à venda, escolhidos a dedo e com muito carinho. Vai lá conhecer! 

Fontes: Micasa / Planete Deco

Inspiração mediterrânea

Das combinações que lideram o ranking da lista “a dupla que está sempre em alta”, branco + materiais rústicos estão na frente em disparada. Dupla atemporal, fácil de inserir em diferentes estilos, é junto com o terracota e com o toque despojado que ganha ares mediterrâneos, doando uma leveza fantástica a qualquer ambiente. Com as temperaturas subindo, é o tipo de combinação bacana para se testar, porque ela é capaz de conferir frescor e ainda contribuir para uma atmosfera mais descontraída e aconchegante. Quem sabe pensar em algo assim naquele pedacinho de sua área externa ou mesmo num cantinho da sua sala?


Fonte: The Style Files

Blog no WordPress.com.

Acima ↑