Ah, tamanho despojamento é, no mínimo, de se admirar. E não é de admirar o despojamento sob o olhar de ser descolado, mas é de admirar no sentido da aceitação. É aceitar que o sofá já viu dias melhores e hoje ele fica muito mais simpático com uma capa e almofadas multicoloridas. É aceitar o gosto por muitas cores e decidir colocar todas juntas. É aceitar e permitir o convívio com móveis de diferentes épocas, procedências e estilos. Afinal de contas, o aceitar é tão libertador que faz a gente ser capaz de olhar ao redor e encontrar alternativas. É aquela boa e velha história de parar de focar no problema e focar na solução. Exige aceitar o imperfeito, demanda flexibilidade e boa dose de criatividade, como muitos pontos que podem ser notados nessa casa. Mas o exercício de aceitar e tirar o máximo proveito daquilo que se tem sem dúvida ainda é um dos melhores caminhos para se alcançar uma casa imperfeitamente perfeita e deliciosamente real.

Quer uma mãozinha pra dar um talento no seu cafofo, uma boa repaginada tirando o máximo proveito do que já possui? Nossa consultoria de decoração pode te ajudar 🙂 . Aqui você encontra maiores informações.

Fonte: Planete Deco

Publicidade