Excetuando as paredes de azulejo de uma lavanderia e duas cozinhas , nunca pintei nenhuma outra de branco. Acho que quando a gente entra numa casa, seja alugada ou própria, rola aquela conversa rápida onde flagramos a entrada de luz, reparamos no piso, pensamos nos nossos móveis ali dispostos e, logo em seguida, as paredes sussurram em nossos ouvidos a cor que gostariam de ter. E nunca nenhuma me pediu para ser pintada de branco.

Com minha casa atual, para a qual me mudei faz uma semana, a conversa foi bem diferente, para o total espanto da família inteira. Enquanto muitos se assustam com as cores fortes, por aqui o desespero geral era viver numa casa branca. Depois de provar minha sanidade,  e explicar em detalhes que ela seria “praticamente” branca e que teríamos uma cozinha cinza, uma parede roxa aqui, uma azul ali, os ânimos se acalmaram um pouco.

Ainda tem muita coisa para ser feita, algumas caixas para serem desfeitas, e a conversa ainda renderá um bocado. Os cantos a serem descobertos são muitos, tem muita vaga adormecida à espera de uma boa dose de carinho, mas aos poucos chegaremos lá, com direito a muitas risadas, bastante bagunça pelo caminho e, claro, muitos móveis velhinhos e estampas.

sala

sofa marrom

jantar

sofa verde

Curta a page do Forma:Plural no Facebook aqui.