Busca

Forma : Plural

Releitura do viver bem

mês

março 2013

A Páscoa, as mudanças, a lembrança

Costumo aproveitar os feriados para promover mudanças aqui em casa, prefiro viajar em épocas mais tranquilas. E, como o almoço de Páscoa será aqui, tinha motivos de sobra para dar aquela geral na casa como um todo.

Foi um tal de arrastar móvel, prender e redistribuir quadros e espelhos, espalhar flores pela casa. A área que mais sofreu mudanças foi a externa, onde possuímos uma pequena sala de estar e mesa de almoço.

Repintei mesa de centro, encapei um antigo baú com tecido, reformulei a diagramação do espaço e abri mão de um quadro que me acompanhou em quase todas as minhas moradias. Foi difícil, não nego, mas estava na hora de deixar sentimentos novos entrarem.

Exercer o desapego não é tarefa fácil, mas fiquei muito feliz com o desfecho. O quadro irá adornar a sala da minha irmã, que na semana passada havia me pedido uma sugestão do que colocar em sua parede. Ela sempre foi apaixonada por ele e foi um super presente sua reação ao telefone quando soube que aquele quadro agora estaria entre seus pertences.

Embora tenha ficado satisfeita com o resultado de toda transformação da parte externa, ainda havia ali um vazio, capaz de ser preenchido apenas com objetos que possuíssem muita história. Pensei nas cores que desejaria pincelar pelo ambiente e liguei para minha mãe.

Em sua casa tem um acervo enorme de peças artesanais pois, a cada viagem que meu pai realizava, fazia questão de trazer muita coisa. Passava longos períodos fora e sabíamos que estava retornando quando a van do aeroporto encostava em nossa porta com suas entregas: carrancas, quadros, toalhas de renda, objetos multicoloridos de barro.

Mas, do mesmo modo que foi uma decisão difícil me “desfazer” do quadro, convencer minha mãe a doar determinadas peças, especialmente a Filomena ( uma estátua alta de barro, que funciona como luminária de velas ), exigiu um esforço maior ainda.

O problema não era a doação em si, mas o Jorge, nosso labrador, dar um esbarrão em algum móvel e vir a quebrar alguma peça. Super compreensível! Mesmo assim, a questionei se era melhor correr o risco e deixá-las expostas ou continuar tudo da forma como está, devidamente embaladas no fundo do armário.

Depois de uma pausa silenciosa, ela me contou que um dia perguntou a meu pai o motivo de tantos objetos, visto que nem tudo poderia ser exposto, e ele respondeu que um dia os filhos teriam suas casas e que, em algum momento, poderiam ser de grande valia. Foi um  alívio, pra mim e pra ela, e agora a Filomena e tantos outros terão um novo destino.

E acho que é assim para tudo aquilo que gostamos, precisam ser curtidos, renovados. O medo de que quebrem, empoeirem, não pode ser mais forte do que a alegria que nos proporcionam estando à vista. Se nós não duramos para sempre, por que achar que eles devam durar? Enquanto existirem, que nos tragam felicidade num canto especial da casa e, no dia em que nos abandonar, estejam eternizados nas fotografias e histórias.

Amanhã, com a família toda reunida e com a chegada desses objetos tão queridos, tenho a certeza de que terei a melhor Páscoa que poderia desejar. Uma feliz Páscoa a todos vocês, que seja um momento de grandes mudanças e alegrias!

Curta a page do Forma:Plural no Facebook aqui.

Anúncios

Céu particular

As camas box multiplicaram as possibilidades de cabeceiras e, com isso, trouxeram para dentro dos quartos a chance de inserções de materiais pouco convencionais. Numa dessas, o famigerado painel de gesso não poderia ficar de fora, afinal de contas é economicamente acessível e se trata de um elemento que aceita muitos acabamentos.

um brinco

Sobreposto à parede, facilmente pode ser renovado à medida que o visual começa a não agradar mais. De qualquer maneira, numa pintura lisa e numa cor que remete aos dias mais ensolarados, convenhamos que esse dia pode levar um bom tempo para chegar…

Curta a page do Forma:Plural no Facebook aqui.

Fonte: Um Brinco

Despistando o olhar

Diversos cômodos, sem nenhuma parede, numa única área? Com um trabalho prévio de layout, que envolva um bocado de imaginação e criatividade, isso é possível. Aqui está um apê , situado em Madri, que é um grande exemplo de liberdade para se desfrutar, sem barreiras estruturais para o olhar. Fazendo uso do branco como ponto de integração, as texturas de algumas paredes e os tons de madeira acolhem, enquanto a variedade de peças e cores demarcam cada território, determinando o uso e função.

AJ1

AJ2

AJ3

AJ4

AJ5

AJ6

AJ7

Curta a page do Forma:Plural no Facebook aqui.

Fonte: Planete Deco

Uma cozinha de estar

Cozinha pequena e estreita é o que não falta e, de quebra, ainda costuma ter cara de banheiro de lavanderia: ambiente frio, sem nenhum atrativo, onde a visita entra em caso de última instância. Se esse é seu caso, saiba que é possível reverter a situação.

apart therapy

Bem no fundo do recinto dá pra elaborar uma mini sala de estar, onde bancos de madeira dispostos em ” L ” cumprem a função de sofá e um universo de almofadas garantem assentos e encostos bem macios. Uma mesinha de centro alta e redonda é o apoio necessário que faltava que, juntamente com uma poltrona de dimensões enxutas, fecham o ambiente com aconchego. Para diferenciar completamente os dois ambientes, a iluminação é um item indispensável, aqui muito bem representada por pendentes e até um pequeno abatjour sobre a pia. A troca de revestimento na parede também favorece bastante a divisão dos espaços, que pode ser feita até com tinta para azulejo em cores diferentes. E se sua cozinha não possui essa janela generosa, aposte num quadro bem bacanudo ou numa bela composição de ilustrações.

Curta a page do Forma:Plural no Facebook aqui.

Fonte: Apartment Therapy

Em clima de férias

Os espaços externos possuem o dom da descontração. Seja para um bate-papo animado, um lanche descompromissado, um espaço para relaxar, conte com eles. E não são apenas as casas com quintais verdes as capazes de proporcionar esse luxo: uma varanda de apê dá conta do recado.

Essa que vi na Revista Casa & Jardim é uma boa prova disso. Com vasos espalhados pelo chão, alguns presos à parede e pendentes, o clima pé pra fora se instalou. Tirando partido da madeira e almofadas, a atmosfera casa de campo se  fez presente, com aconchego de sobra para passar longas horas proseando ou pensando na vida.

Claro que as cores não poderiam deixar de ser mencionadas: pura animação e alegria num belo aparador amarelo e no festival de estampas. Se a ideia é começar a colorir o cafofo, a área externa é lugar certo para se aventurar. E se o piso não colabora, decks prontos evitam o quebra-quebra e ainda ajudam a valorizar e dividir o ambiente.

casa abril 223

revista casa e jardim

Curta a page do Forma:Plural no Facebook aqui.

A felicidade de algumas horinhas

Cecília Meireles bem escreveu: ” De que são feitos os dias? De pequenos desejos, vagarosas saudades, silenciosas lembranças”. Particularmente, acredito que as casas devam conter uma composição bem similar a essa, onde cada cômodo reserve um canto de desejos, que as paredes expressem as histórias que se foram e tenham espaço para receber com carinho as que ainda estão por vir, que sejam tratadas como um organismo vivo, suscetível a mudanças e experiências. Talvez por isso tenha tamanha admiração por casas feitas de cantinhos, aqueles que guardam as coisas que mais gostamos de fazer, só à espera do fim de semana para poder se perder e mergulhar de verdade, sem ter hora para começar ou terminar.

foto 1

foto 2

foto 3

foto 4

foto 5

foto 6

foto 7

foto 8

foto 9

Um cantinho de manualidades, como o dessa casa, me parece ser o lugar perfeito para colocar os sonhos em prática e renovar as alegrias, mas poderia ser uma sala de leitura ou música, um jardim para cuidar das flores, uma cozinha para preparar quitutes para receber os amigos. Um feliz final de semana!

Curta a page do Forma:Plural no Facebook aqui.

Fonte: Mokkasin

Pelas paredes

O que não faltam são opções para paredes: papéis, tecidos, quadros, pinturas normais e inusitadas. Já parou pra pensar que uma bela parede, seja lá qual for o recurso escolhido, pode significar uma excelente aliada para esconder um móvel derrubadinho ou a falta dele, substituir uma obra de arte ou até mesmo ser sua galeria de exposição pessoal? E foi pensando justamente nesse último item que a blogueira do A Beautiful Mess teve essa ótima sacada:

beautiful 1

a beautiful mess 4321

bautiful 2

Fotos impressas presas à parede! Para quem curte fotografar, além da ideia ser um prato cheio, a casa ainda ganhará um papel de parede exclusivo. No caso dela, como a área a ser preenchida era muito grande, sua alternativa foi pedir socorro às fotos disponíveis na internet, que futuramente serão substituídas por novos cliques de sua autoria. Aqui tem o caminho das pedras completo.

Curta a page do Forma:Plural no Facebook aqui.

Livros sobre a mesa

Organização, antes de mais nada, é fundamental para tornar qualquer ambiente mais agradável, mas  nem sempre sobra espaço suficiente para termos os móveis certos para manter tudo em seu devido lugar. Daí, só resta mesmo usar a imaginação:

la-belle-vie.tumblr.com 1

Os livros foram expostos numa bela composição sobre a mesa de centro mesmo e, de quebra, contribuíram com a decoração. Se as capas não ornarem entre si, uma capa com um papel de boa gramatura pode ser a saída e ainda ajudará a protegê-los.

Curta a page do Forma:Plural no Facebook aqui.

Fonte: La Belle Vie

O toque artesanal

É, acima de tudo, um toque de carinho e de alma. Feliz dia a todos os artesãos!

candytree

casa abril 4453

casa abril k

chic decó  876322

colorful senses

home&garden

ida interior 88543

kika reichert 998765

Curta a page do Forma:Plural no Facebook aqui.

Fontes: Candytree / Casa Abril / Chic Decó / Colorful Senses / Home&Garden / Ida Interior Lifestyle / Kika Reichert

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑