Busca

Forma : Plural

Releitura do viver bem

mês

setembro 2012

Cozinha de portas abertas

Foi pra cucuia o tempo em que visita era recebida apenas na sala de estar. Atualmente, visita também é recebida na cozinha, onde faz companhia ou ajuda o dono da casa a cozinhar e, se bobear, ainda dá um tapa na louça.

Por conta dessa mudança de hábito, as cozinhas passaram a ter uma nova cara, agregando novos elementos e descartando outros que passavam aquele aspecto impessoal.

Azulejos dão lugar para paredes com quadros, espelhos e até coleções:

Mesmo bem pequenas, têm reservado um cantinho para uma conversa agradável com pegada total sala de estar:

Ou espaço suficiente para não faltar lugar pra ninguém:

Passaram a receber a devida atenção e muitos acessórios que a tiram do lugar-comum:

Até os famigerados móveis planejados ganharam um ar menos frio:

Releituras:

E aí, como é sua cozinha?

Curta a page do Forma:Plural no Facebook aqui.

Fontes: Atelier Inbox / Casa Claudia / Apartment Therapy /French by Design / Ida Interior LifeStyle / ZsaZsa Bellagio / Colorful Senses / Kika Reichert

Anúncios

De lixeira a pendente

Cestinho de lixo de metal:

Tiras de retalho:

Fio com bocal e pronto!

Curta a page do Forma:Plural no Facebook aqui.

Fonte: Tránsito Inicial

De onde menos se espera…

…daí é que não sai nada. Barão de Itararé tem algumas frases geniais, perpicazes e ardidas, mas não dá pra levar tudo a ferro e fogo, sempre existem algumas exceções.

Por exemplo, móveis vendidos em hipermercados. Muita gente torce o nariz, mas tem muita coisa que cumpre super bem sua função, como estantes de metal:

E nada que um tapa ou um pouco de tinta também não possa contribuir para dar um gás na peça:

Lona é outro material bastante acessível, resistente e que pode assumir muitas identidades. Pra tapar o sol naquele puxadinho:

Associada ao ilhós, que pode ser colocado numa sapataria mesmo, e presa por cabo de aço, é uma solução que também dá conta do recado.

Essa foto aqui me chamou a atenção pela quantidade de elementos, mas precisei acostumar um pouco a visão para entendê-la. E não é que possui boas sacadas também?

Bem ao lado da cama, um painel perfurado se encarrega de acomodar brincos e colares. Caixas empilhadas fazem as vezes do criado-mudo. Um tecido faz a “divisão” cama / suposto closet, que por sua vez é composto de uma arara elaborada com cintos e, pelo que me sugere, um desses canos com tamanho ajustável.

Pois é, muitas vezes a gente se surpreende.

Curta a page do Forma:Plural no Facebook aqui.

Fontes: Pinterest / Remodelista /79 Ideas / Cush and Nooks

Catadinhos daqui e dali

Não economizaram alegria no momento de preencher esse loft. Tirando partido do pé direito alto e de parede de tijolinhos, o espaço que era um verdadeiro vão aberto se transformou num delicioso splash de cores e estampas.

Usando e abusando de muitas referências que vemos espalhadas por aí, esse cafofo é um apanhado de muitas delas, um verdadeiro convite para andar descalço e correr sem fronteiras, mesmo que isso seja em apenas 48 m2.

Curta a page do Forma:Plural no Facebook aqui.

Fonte: Planete Deco

Aparador total flex

Nem precisa preparar demais o espírito porque o projeto não é dos mais capciosos e serve para a sala, corredor, banheiro ou qualquer outro espaço necessitado de uma peça para decorar, guardar, servir de apoio.

Linhas retas, versátil pra combinar com outros móveis e moleza pra customizar. Dá na boa pra fazer as vezes de mesa auxiliar, penteadeira, escrivaninha. Gostou? Tutorial aqui.

Curta a page do Forma:Plural no Facebook aqui.

Sobre feriados

Feriados presenteiam as cidades grandes com ruas calmas e vazias. Um convite pra conhecer melhor aqueles caminhos que em dias comuns a gente só percorre de carro. Bom também pra uma viagem, mas prefiro reservar dias mais tranquilos pra cair na estrada.

Pra quem curte a casa nesses dias, é tempo de usá-la, gastar o melhor tempo e torcer para que passe bem devagarinho, como essa adorável música da Tulipa Ruiz. Cortar as folhas secas das plantas, adubar as flores, lixar uns móveis e tentar descobrir cantinhos do cafofo que ainda não se apresentaram.

É, casa para servir de refúgio precisa ser descoberta, e só usando pra chegar lá. Carregar a mesa pro quintal e perceber que almoçar fora não quer dizer apenas rumar para um restaurante. Espalhar almofadas e colchões na área externa e sentir que tomar um solzinho ali mesmo pode ser bastante acolhedor. Usar um chuveirão na falta da piscina.

Arrumar alguns “pra que isso” e enfeitá-la, abrir escandalosamente as portas e janelas, acender o forno e perfumá-la com o cheiro de um bolo de cenoura. Aproveitar também pra ouvir bem alto aquela música que faça o corpo se mexer à toa enquanto pensa qual das ideias vale a pena colocar em prática.

Casa é pra viver, receber e ser ocupada, em toda sua extensão. Deixo pra vocês algumas imagens que talvez sirvam de inspiração. Tenham um excelente feriado. Mesmo que passe rapidinho, que seja delicioso!

Curta a page do Forma:Plural no Facebook aqui.

Fontes: Planete Deco / Kika Reichert / Marie Claire Maison / Pinterest / Blog da Reforma / Revista Casa e Jardim / The Design Files / Chic Decó / DigsDigs / From Scandinavia with Love

Caprichando no espaço vertical

Subir pelas paredes muitas vezes é a única alternativa que sobra quando o espaço aperta. Mas, para quem ainda acredita que prateleiras  são todas iguais e sem graça, que deixam os espaços com ar de zona total, está aqui um exemplar pra provar que não é bem assim.

Com apenas 42 m2, a saída foi sim apelar para as tábuas salvadoras, cada qual seguindo um modelo que melhor se adapte às necessidades de cada ambiente. Todas com linhas muito simples e brancas, muitas vezes se camuflando com a parede.

Para quebrar a monotonia, as cores vieram de algumas peças bem selecionadas, além de pintura e papel de parede em zonas específicas, que contribuiram para criar a divisão dos espaços.

Tudo no seu devido lugar, com direito até a uma bancada de trabalho. Tamanho nem sempre é documento, mas a maneira de ocupá-lo e definir sua utilidade é um fator que faz uma tremenda diferença tanto em poucas quanto grandes metragens.

Curta a page do Forma:Plural no Facebook aqui.

Fonte: Delikatissen

Bolinhas

Também conhecidas por petit pois, polka dots ou simplesmente estampa de bolinhas, entra ano, sai ano, elas continuam fazendo valer sua presença.

Mega versáteis quando se trata de combinar com outras estampas, podem ser encontradas numa vasta gama que vai dos modelitos clássicos a releituras.

Aplicadas como detalhes na parede, a versão das bolinhas em adesivo pode ser encontrada em cores primárias, neon, dourada e prateada:

Na versão papel de parede e tecido:

Conversando com florais:

Pra dar uma graça em objetos convencionais:

Sem misturar muito:

Em versões mais contemporâneas:

Com outras estampas geométricas:

As possibilidades são muitas. Na dúvida de como dar aquela pincelada feliz, mesclar sem causar muitos danos ou apenas criar um “pra que isso”, a bolinha é uma boa pedida.

Curta a page do Forma:Plural no Facebook aqui.

Fontes: 79 Ideas / Atelier Decor / Cherry Blossom / Decor8 / Design Sponge / Kika Reichert / NIB / Pinterest / RareRina / Revista Casa e Jardim

Um modelo funcional de sala de estar e ficar

Sala é aquele ambiente que serve pra ficar à toa e receber amigos. Ela armazena livros, sofá, mesa, cadeira, quadros e, muitas vezes, guarda até coisas que não cabem em outros ambientes. Bom, pelo menos casa de meros mortais costuma funcionar dessa forma.

É um desafio conciliar as funções delegadas a uma sala de maneira que ela se torne harmônica, aconchegante e funcional ao mesmo tempo. Foi justamente isso que me encantou nessa aqui:

Tudo bem que a janela e porta foram responsáveis por boa parte do sucesso, afinal a iluminação natural é um dos recursos mais incríveis em todo e qualquer espaço. Mas a opção de colocar ou não uma cortina cabe a cada um.

Com um ambiente totalmente branco, a pintura colorida e desgastada da porta trouxe um clima mais orgânico, criando um contraponto muito interessante com as demais peças.

Ela é repleta de detalhes, mas muito sutil em cada um deles. O colorido vem das almofadas, livros, quadros e revistas, essas muito bem organizadas sob uma prateleira. A maior parte dos móveis se confunde com o branco do piso e parede, enquanto um conjunto mesa-cadeira ganhou destaque, simplesmente pela troca da cor. Mais um recurso bacana para criar um segundo mini ambiente.

Um ótimo investimento para contribuir com a circulação foi transformar uma parede inteira em estante e optar por um aparador sem pés.

E, fugindo dos padrões que já estamos bem familiarizados, ela não possui mesa de jantar. Acho até que caberia uma bem pequena e redonda, mas tem momentos em que mais vale o ” menos”  usado todos os dias do que o “mais” usado de vez em quando e com isso correr o risco de atravancar o que está bom.

OK, muitos se perguntarão como fazem quando recebem os amigos para um jantar. A resposta é tão simples quanto o projeto da sala: com um banco coringa! Olha ele aí:

Se quiser conferir o restante do cafofo, clique aqui. O passeio vale a pena!

Curta a page do Forma:Plural no Facebook aqui.

Blog no WordPress.com.

Acima ↑