Sala é aquele ambiente que serve pra ficar à toa e receber amigos. Ela armazena livros, sofá, mesa, cadeira, quadros e, muitas vezes, guarda até coisas que não cabem em outros ambientes. Bom, pelo menos casa de meros mortais costuma funcionar dessa forma.

É um desafio conciliar as funções delegadas a uma sala de maneira que ela se torne harmônica, aconchegante e funcional ao mesmo tempo. Foi justamente isso que me encantou nessa aqui:

Tudo bem que a janela e porta foram responsáveis por boa parte do sucesso, afinal a iluminação natural é um dos recursos mais incríveis em todo e qualquer espaço. Mas a opção de colocar ou não uma cortina cabe a cada um.

Com um ambiente totalmente branco, a pintura colorida e desgastada da porta trouxe um clima mais orgânico, criando um contraponto muito interessante com as demais peças.

Ela é repleta de detalhes, mas muito sutil em cada um deles. O colorido vem das almofadas, livros, quadros e revistas, essas muito bem organizadas sob uma prateleira. A maior parte dos móveis se confunde com o branco do piso e parede, enquanto um conjunto mesa-cadeira ganhou destaque, simplesmente pela troca da cor. Mais um recurso bacana para criar um segundo mini ambiente.

Um ótimo investimento para contribuir com a circulação foi transformar uma parede inteira em estante e optar por um aparador sem pés.

E, fugindo dos padrões que já estamos bem familiarizados, ela não possui mesa de jantar. Acho até que caberia uma bem pequena e redonda, mas tem momentos em que mais vale o ” menos”  usado todos os dias do que o “mais” usado de vez em quando e com isso correr o risco de atravancar o que está bom.

OK, muitos se perguntarão como fazem quando recebem os amigos para um jantar. A resposta é tão simples quanto o projeto da sala: com um banco coringa! Olha ele aí:

Se quiser conferir o restante do cafofo, clique aqui. O passeio vale a pena!

Curta a page do Forma:Plural no Facebook aqui.