Não posso ver uma mesa com gavetinha que alucino e com essa a história não foi diferente. Encontrei a danada soterrada num mar de tralhas, num quartinho bem escuro de um brechó e só dava para avistar a gavetinha.

Essa é minha terceira. Tenho uma na cozinha, que foi encontrada numa demolição pelo meu pai e a outra se encontra na fila de espera, aguardando uma baita encerada em seu tampo.

Faz um pouco mais de um ano que a comprei mas, sacumé, falta tempo pra tanta ideia, ainda mais quando envolve restauro e estampa pintada à mão.

Mas nunca tive a menor pressa quando se trata dos móveis velhinhos, meus queridões da melhor idade exigem paciência. Tudo no seu tempo, pra curtir bem devagarinho aquilo que adoro fazer.

Curta a page do Forma:Plural no Facebook aqui.