Uma tradicional cozinha planejada pequena e, de brinde, branca. Bastante convencional, até a segunda parte.

Ser minúscula já é um problema, sem graça também não precisa. Felizmente, a salvaram pelos detalhes, a começar por um piso quadriculado, que parece ser vinílico.

Tenho algumas ressalvas sobre esses quadriculados, porque logo fico procurando a geladeira vermelha, a típica combinação anos 50. Mas tudo é uma questão de contexto…

Por falar em contexto, temos os móveis planejados, que ocupam uma banda e outra da cozinha. São revestidos com fórmica brilhante, não fosca. Isso contribui bastante para criar um visual muito mais propenso ao antiguinho que moderno. Quem se lembra dos armários com pezinhos da casa da avó, tia, parente? Por que ninguém usa mais fórmica brilhante?

Um outro detalhe bem pequeno, mas que faz uma diferença gigantesca, é o puxador. Ufa, uma bela fuga dos puxadores cromados e em formato de alça.

A posição da mesa é a clássica receita de sucesso: sob a janela. Só que com cadeiras na cor rosa vibrante,  que conseguiram quebrar a monotonia do espaço.

Pra criar um climinha, um lustre acima da mesa e uma cortina que foge aos padrões desse tipo de ambiente. A prateleira também deu uma boa mãozinha, trazendo uma atmosfera mais “sala de estar”, juntamente com o papel de parede que separou super bem os ambientes.

Mega pequena e atendendo os requisitos que uma cozinha precisa ter. No entanto, a inserção de alguns elementos bem pontuais a tiraram do lugar comum. Uma prova de que nem toda cozinha planejada precisa ser sinônimo de impessoalidade.

Ah, esqueci de comentar: ela é de um apê com apenas 38m2. Dê uma espiadinha no restante do cafofo aqui.

Curta a page do Forma:Plural no Facebook aqui.

Fonte: Delikatissen