O coitadinho é o último na lista de prioridades. Mentira? Normalmente apertado, ainda serve até para armazenar os cacarecos que a gente não usa mais.

Aqui em casa não foi diferente. Quando me mudei, há um ano e meio, tínhamos uma suíte de serviço. Pelo nome, parece grande, mas o trem era bem apertado.

Era um quartinho na lavanderia com um banheirinho acoplado. Quando bati o olho, logo pensei: preciso arrumar uma função para esse espaço, caso contrário se tornará o poço da bagunça eterna.

Abri uma parede no corredor interno e o quartinho virou uma sala de TV. Só cabe um sofá ( que entrou com muito custo ) e um futon que é mega concorrido pelas pessoas que vem passar a noite aqui. Um dia essa sala virará um post também…

Subi uma parede a fim de isolar o banheiro e abri uma porta na lavanderia, utilizando a mesma porta antiguinha, de madeira de verdade, que pertencia à entrada do quarto.

Como tinha super pouco tempo de disponibilidade do pedreiro, que já estava com algumas obras agendadas, e a casa tinha outras prioridades, a saída foi apelar para o lema: ” se não pode com eles, ao menos tente confundi-los”.

Com a transformação, fiquei apenas com metade da parede azulejada. Ou quebrava e trocava tudo, que seria insano pelo prazo, ou tirava proveito disso. Fui na segunda opção.

Para evitar problemas na área úmida da pia, coloquei meia dúzia de azulejos hidráulicos, que deram o contraste que queria juntamente com a parede pintada na cor cereja.

Investi no espelhinho de ferro, que encontrei numa super promoção e tem o acabamento que funciona bem com o desenho dos ladrilhos. O pendurador de toalha e o porta-papel higiênico foram “importados” de Rio Claro, onde reside minha irmã, e são encontrados em lojinhas de 1,99.

Pelas fotos, dá pra sacar que ele é o banheiro da luz vermelha, né? A grande culpada está aí:

A tal lanterna japonesa, também colorida! Essa não foi customizada porque tem alguns recortes que criam uma textura bem bacana na parede e, como o danado é bem apertinho e um pouco escuro, só dá pra fotografar com a luz acessa, o que dá esse tom avermelhado nas fotos.

Na parede azulejada, que estava um pouco pelada, prendi com washi tape esse tecido. Sim, uso um monte de coisas que publico aqui no blog lá em casa. A washi tape também serviu para fazer o acabamento nos azulejos, criando uma liga melhor com a parede pintada.

Repararam que nem o banheiro escapou de um crochezinho? Como o registro estava pra lá de feinho e tinha uma florzinha dando bobeira, resolvi vesti-lo. A porta também ganhou três corações de crochê pra não ficar com ciúmes.

E, por incrível que pareça, é o banheiro mais usado aqui em casa, pois tem acesso direto com o espaço externo utilizado em dias de festa. Valeu a promoção de lugar ingrato para apenas uma banheiro apertado, mas com algumas alegriazinhas.

Curta a page do Forma:Plural no Facebook aqui.

Anúncios