No último post do ano, não poderia deixar de fora os velhinhos que me arrancam tantos suspiros. Os fantásticos, geniais e formosos móveis de antigamente sempre terão seu lugar garantido em algum lar e sempre serão capazes de traduzir uma personalidade atemporal, sejam eles detonados ou repaginados.

A verdade é que foram produzidos de maneira completamente diferente da que é usada hoje em dia, sem dizer de sua matéria-prima, de primeiríssima qualidade. Em tempos de tantos desperdícios e da necessidade de um olhar mais apurado para todas as ações realizadas nos últimos anos em busca do desenvolvimento, pra mim eles têm uma grande representatividade no quesito reaproveitamento.

Muito tem se falado sobre o assunto, vejo muitos blogs darem dicas ótimas de como usar o que temos disponível, garantindo com isso uma diminuição no consumismo num universo onde praticamente tudo é descartado, inclusive os valores humanos. Na época em que muitos desses móveis foram produzidos, esse tipo de conscientização era praticamente nula, mas a grande parte dos bens de consumo tinha um tempo de vida útil muito maior e as pessoas levavam uma vida onde, no mínimo, tinham tempo para dar bom dia aos seus vizinhos e conhecê-los pelo nome.

Sem dúvida alguma, todos os fatores que culmimaram a chegar onde chegamos são muito complexos e envolvem uma longa discussão sobre política, economia, sociologia e outras áreas por aí afora. A criatividade humana, na minha opinião, é a grande válvula propulsora de todo o caos que estamos vivenciando e também de muitos benefícios que nem imaginávamos que seriam possíveis.

Espero e desejo que nesse próximo ano consigamos dosar as extremidades de nossa criatividade, seguindo em frente com todos os avanços que nos foram proporcionados às custas de muito estudo,observação e tentativas, mas que resgatemos os valores que realmente nos tornam humanos. Afinal, a exemplo de um móvel antigo, o valor não está apenas num design bacana, funcional ou em sua estrutura, mas em toda a história ali impregnada.

Desejo um novo ano cheio de boas histórias, com pequenos e grandes momentos, que as pequenas coisas assumam um lugar cada vez maior na vida das pessoas, que a simplicidade também seja uma meta a ser alcançada e que a saúde não falte para que possamos seguir em frente com todos os nossos projetos e sonhos.

Um feliz 2012!

Fontes: Desire to Inspire / Los apuntes de Paula / Mes caprices belges / Zsa Zsa Bellagio